Dolomita - 60 Cápsulas

Cód.:  NUT0048
Vendido por:  Nutryervas
Varejo

R$ 11,99

Descrição

Indicação: Ossos e Articulações

A Dolomita é um mineral extraído de rochas do tipo calcário, rica em cálcio e magnésio. Contém uma proporção de cálcio e magnésio de 2:1, ideal para absorção e ação no organismo. A gelatina utilizada na fabricação das cápsulas moles é isenta de Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE).

O cálcio é o mineral mais abundante no organismo humano, localizando-se principalmente nos ossos e dentes, mas também é encontrado em todas as células e participa ativamente de vários processos biológicos, tais como a contração muscular, função normal dos nervos, atividade cardíaca, bem como na coagulação sanguínea. O Magnésio é essencial para vários processos que garantem o funcionamento do organismo, incluindo o metabolismo de carboidratos e lipídeos, a produção de energia (ATP), síntese de material genético (DNA e RNA), para formação dos ossos e dentes, e para a função do sistema nervoso e músculos. É importante que haja um equilíbrio da ingestão de cálcio com magnésio, para que não ocorra um depósito anormal de cálcio nas artérias e outros tecidos, isso faz da Dolomita uma das melhores fontes destes minerais obtida da natureza.

Indicado para osteoporose, raquitismo, osteomalácia, outras doenças osteo-articulares e hiperacidez do estômago. Flatulência, dor no estômago e má digestão.

Contém 60 ou 120 cápsulas gelatinosas contendo 600 mg ou pote contendo 200 g ou 680 g de Dolomita.

Composição: Carbonato de cálcio e magnésio CaMg(CO3)3.

Recomendação de uso: Recomenda-se ingerir 1 cápsula três vezes ao dia 30 minutos antes das principais refeições, ingerir com um copo de água (200 ml). A ingestão diária recomendada equivale a 38% e 69% da IDR de cálcio e magnésio, respectivamente. Recomenda-se ingerir 1 colher de chá (2,6 g) ao dia. A ingestão diária recomendada equivale a 52% e 100% da IDR de cálcio, e magnésio, respectivamente.

Contraindicação: Por ser um calcário, dependendo do local que é feita a extração, a dolomita pode estar contaminada com metais tóxicos (chumbo, cádmio e mercúrio), os quais poderiam levar a um quadro de intoxicação com a ingestão de dolomita, assim é importante confiar na origem do produto. Algumas pessoas também podem apresentar hipersensibilidade com o uso da dolomita, neste caso descontinuar a utilização. Doses diárias de cálcio não devem ultrapassar 2500 mg em adultos, pois o elevado consumo de cálcio pode provocar hipercalcemia, a qual é caracterizada por náuseas, vômito, anorexia, coma, sede, incoordenação motora, poliúria, bradicardia, hipertensão, fraqueza muscular e diminuição da função renal.

Produtos Relacionados